Document details

Arquitectura como propaganda do Estado Novo

Author(s): Caldeirão, Teresa

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/2376

Origin: uBibliorum

Subject(s): Arquitectura tradicional; Estado Novo


Description

O percurso da arquitectura da primeira metade do século XX foi conturbado e viveu numa tensão instável, que marcou o pós da 1ª Guerra Mundial. Portugal tal como tantos outros países europeus, revelou-se nos campos da arquitectura, bem como no urbanismo, tempos de confrontos entre o sentido histórico da inovação e de afirmação da ruptura e o sentido recreativo de regresso aos temas tradicionais, historicistas ou regionalistas. Muitas vezes as duas vertentes - “o tradicional e o clássico” e “o progressista e o modernista” - existiram paralelamente e qualquer um dos lados teve períodos de maior ou menor força na arquitectura neste período. A arquitectura modernista que se desenvolveu em Portugal nas décadas de 20 e 30, foi designada como um “efémero modernismo” ou o “primeiro modernismo Português”, contando com expressão clara de uma nova geração de arquitectos acabados de formar, dos quais o regime ditatorial do Estado Novo(1926-1974), entretanto implantado, opta por aceitar como autores da construção consciente da “imagem” arquitectónica e artística do regime. Tal como os principais regimes que ascenderam ao poder no final do século XX, o Estado Novo visionou na arquitectura um meio de propaganda, usando a sua “imagem” arquitectónica para promover os seus feitos e a sua ideologias perante a nação, chegando mesmo a catalogá-la em álbum (“Portugal 1934”) como modo de promoção. Sob forma de concursos, exposições e congressos a “arquitectura do Estado Novo”, como afirmação de um regime ditatorial, demonstra bem como a arquitectura pode ser um poderoso instrumento de propaganda política e imagem de um Regime. O principal objectivo desta dissertação é estudar a importância do papel da arquitectura durante esta época, bem como o papel que teve na propaganda e imagem de um Portugal poderoso, cheio de história e vitórias, com uma etnografia tão própria e tão diferente dos restantes países Europa.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Pinto, Luís Miguel de Barros Moreira
Contributor(s) Caldeirão, Teresa
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents