Document details

Um mundo de possibilidades: o conceito de "movimento ontológico" em Jan Patocka

Author(s): Rodrigues, Inês Pereira

Date: 2013

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/2812

Origin: uBibliorum

Subject(s): Patocka, Jan, 1907-1977 - Estudo crítico; Fenomenologia asubjectiva; Movimento ontológico; Mundo - Existencialismo


Description

Este projecto explora o conceito de “movimento ontológico” na obra de Jan Patočka. Patočka recupera o conceito aristotélico de movimento como realização, e propõe o que chama uma “radicalização” retirando-lhe o substrato estável das alterações. O movimento radicalizado seria, assim, não apenas uma alteração nas proprieadades de um ente, mas um movimento do próprio ser do ente, ou seja, um movimento ontológico. O novo conceito de movimento é adoptado para caracterizar a existência (Dasein) como sendo em realização de si mesma. O “movimento da existência” é o movimento pelo qual a existência realiza o seu próprio ser. Este movimento é essencialmente corporal; a realização de possibilidades que define a existência não só requer um corpo no sentido em que as suas possibilidades são de acção, como é, em si própria , corpórea. A ideia de corpo deve, desta maneira, permitir que o próprio corpo seja não um instrumento de realização, mas ele mesmo uma realização O próprio conceito de um movimento da existência em conjunto com as contribuições da fenomenologia asubjectiva - uma das propostas mais importantes da filosofia de Jan Patočka - revela que o movimento da existência, e as possibilidades nas quais se realiza, não são determinadas subjectivamente mas antes pressupõem uma esfera anterior e englobante. Esta esfera omni-englobante é definida como o mundo. O mundo compreendido cosmologicamente como um complexo de possibilidades é caracterizado pelo seu próprio movimento de realização. O mundo, pensado como physis, realiza-se individuando-se em entes particulares. A existência (Dasein) é um movimento particular de individuação do mundo porquanto que, nesse movimento, opera uma relação com o mundo. O movimento da existência realiza, assim, a possibilidade de compreensão do próprio mundo. No terceiro dos três movimentos da existência de Patočka realizar-se-ia a possibilidade mais própria da existência de realizar uma relação explícita com o mundo compreendido como mundo, ou seja, enquanto possibilidade. Nós somos a possibilidade de operar uma revelação do mundo.

The following project is dedicated to investigating the concept of “ontological movement” in Jan Patočka’s work. Patočka recovers the Aristotelian conception of movement and proposes to radicalize it by removing the substrate, the stable substance that would originally remain constant through modifications. Radicalized movement would, therefore, not merely be a change in the properties of a given being, but would, instead, be a movement of the being itself, meaning, an ontological movement. This new concept of movement, according to Patočka, defines existence (Dasein) as being in realization. The “movement of existence” is the movement in which existence realizes its own being. This movement is essentially corporeal; the realization of possibilities which defines existence doesn’t only require a body in the sense that its possibilities are action, but is, in itself, bodily. The body must be understood, therefore, in a manner which allows it to be, itself, realization. The very concept of a movement of existence, together with what is revealed in asubjective phenomenology – one of Jan Patočka’s central contributions to phenomenology - show that the movement of existence, and the possibilities it is in realization of, are not subjectively determined but rather presuppose a prior and encompassing sphere. This all-encompassing sphere is defined as the world. The world is cosmologically understood as a complex of possibilities and characterized by its own movement of individuation. The world conceived as physis realizes itself by individuating in particular entities. Existence (Dasein) is a particular movement of the world’s individuation insofar as, in its movement, it brings forth a relationship to the world. The movement of existence realizes, therefore, the possibility of understanding in and of the world itself. In the third of Patočka’s three movements of human existence lies existence’s most own possibility of realizing an explicit relationship with the world and, in it, the world would be manifest as such, that is, as possibility. We are the possibility of the world’s revealing.

Document Type Doctoral thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Santos, José Manuel Boavida dos
Contributor(s) Rodrigues, Inês Pereira
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents