Document details

A influência dos recursos e capacidade da empresa e da orientação empreendedora na fomação de alianças: uma perspectiva de empreendedorismo colaborativo

Author(s): Manteigueiro, Patrícia Isabel do Carmo Pereira Costa

Date: 2011

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/3011

Origin: uBibliorum

Subject(s): Empreendedorismo colaborativo; Empreendedorismo colaborativo de recursos


Description

O ambiente complexo, turbulento e em constante mudança, em que as empresas operam, intensificou-se consideravelmente. Assim, o empreendedorismo é visto como um processo no qual os empresários procuram oportunidades sem considerar os recursos que têm sob controlo. O reconhecimento de oportunidades inclui actividades, tais como, a exploração da envolvente externa para novos mercados, necessidades não satisfeitas, problemas existentes nos processos de trabalho, bem como novas ideias de produtos. Neste sentido, o empreendedorismo requer a cooperação e a colaboração entre várias partes. De facto, um número crescente de empresas depende da formação de alianças para aceder aos recursos necessários para atingir os seus objectivos estratégicos. Até ao momento, o papel do empreendedorismo na investigação dentro da área das alianças, ou vice-versa, tem recebido uma atenção muito limitada. Em particular, a influência da orientação empreendedora e dos recursos das empresas na decisão de entrar numa aliança é um campo de investigação pouco explorado. Consequentemente, o objectivo deste estudo é preencher esta advertência. Ao fazer-se isso, uma das contribuições deste estudo está no desenvolvimento de teoria e numa melhor compreensão de como usar alianças como uma abordagem de empreendedorismo colaborativo. No presente estudo considerou-se como população/universo todas as empresas portuguesas inseridas numa base de dados fornecida pelo AICEP – Porto. A recolha de dados foi feita através de um questionário aplicado durante o mês de Abril de 2011. Este questionário online foi administrado com links personalizados e códigos de controlo de resposta. Das 1.620 empresas contactadas (amostra inicial), um total de 84 questionários preenchidos foi devolvido correctamente, gerando uma taxa de resposta de cerca de 5%. Nesta investigação, as variáveis independentes dizem respeito a 8 itens de recursos da empresa (tangíveis e intangíveis), a 2 itens relativos às capacidades específicas e 5 itens para a orientação empreendedora. Para a medição destas variáveis usaram-se 5 pontos de acordo com uma escala de Likert. A variável dependente foi a adopção ou não de alianças como forma de desenvolver actividades empreendedoras colaborativas. Para a análise dos dados, foi desenvolvido um processo de estimação desenvolvido através da utilização de regressão logística. Desta forma, avaliou-se o peso relativo dos estimadores significativos que influenciam a probabilidade da formação de alianças, ou seja, a orientação empresarial e os recursos e capacidades das empresas em análise. No geral, o modelo proposto de relações entre orientação empreendedora e recursos e capacidades da empresa parece ser parcialmente adequado para explicar a formação de alianças como um fenómeno do empreendedorismo colaborativo. Detectou-se que vários recursos determinam a decisão de usar alianças, em particular, os recursos tangíveis e organizacionais parecem exercer uma influência positiva sobre a decisão em formar alianças. No entanto, apesar das alianças serem geralmente vistas como uma contribuição vital para o empreendedorismo colaborativo, o seu impacto é fraco no modelo validado no presente estudo. A influência das várias dimensões da orientação empreendedora na formação de aliança aparece, todavia, de forma mista.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Franco, Mário José Baptista
Contributor(s) Manteigueiro, Patrícia Isabel do Carmo Pereira Costa
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents