Document details

O efeito do aquecimento no rendimento em distâncias curtas de nado

Author(s): Alves, Lara Manuel Bacelar

Date: 2012

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/3277

Origin: uBibliorum

Subject(s): Treino desportivo - Aquecimento desportivo; Natação - Rendimento desportivo - Aquecimento desportivo; Natação - Rendimento desportivo - Avaliação; Natação - Aspectos biomecânicos


Description

As tarefas de aquecimento que antecedem a realização de atividade física são habituais e foram-se assumindo ao longo do tempo, como essenciais em competição e em treino. É expectável uma otimização do rendimento desportivo, contudo a literatura apresenta-se ambígua nesta matéria. O objetivo do presente estudo foi verificar o efeito do aquecimento habitual no rendimento dos 50 m, em nadadores do sexo feminino. Sete nadadoras de nível nacional (média ± DP; idade: 15.3 ± 1.1 anos, altura: 1.61 ± 8.1 m, massa corporal: 56.5 ± 7.0 kg) voluntariaram-se para este estudo. Cada nadadora realizou 50 m crol, à máxima velocidade, após a realização ou não de aquecimento prévio (24 h entre as duas condições). Os tempos foram registados e a concentração sanguínea de lactato foi analisada após o teste de 50 m, ao 1º e 3º minuto de recuperação. Adicionalmente, foram utilizados os níveis da escala de percepção subjetiva de esforço de Borg e foram avaliados parâmetros biomecânicos como a frequência gestual, distância de ciclo e índice de nado. Os tempos registados nos 50 m crol não foram diferentes com e sem aquecimento (33.05 ± 2.34 s e 32.71 ± 2.07 s, respectivamente, p = 0.40). Não foram encontradas diferenças nos valores de lactato (8.63 ± 1.49 mmolKl-1 e 7.93 ± 1.92 mmolKl-1, respectivamente; p = 0.71), níveis de percepção de esforço (15.86 ± 1.07 e 15.14 ± 1.22, respectivamente; p = 0.24), frequência gestual (0.81 ± 0.08 Hz e 0.81 ± 0.04 Hz, respectivamente; p = 0.79), distância de ciclo (1.87 ± 0.14 m e 1.89 ± 0.12 m, respectivamente; p = 0.74) e índice de nado (2.85 ± 0.31 m2 c-1 s-1 e 2.91 ± 0.34 m2 c-1 s-1, respectivamente; p = .40). Estes resultados sugerem que o aquecimento habitualmente realizado pelas nadadoras não influencia o rendimento nos 50 m na técnica de crol.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Marinho, Daniel Almeida
Contributor(s) Alves, Lara Manuel Bacelar
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents