Document details

Valorização do bagaço de uva: avaliação da potencialidade de produção de Biogás

Author(s): Oliveira, Rui Manuel Caetano

Date: 2011

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/3899

Origin: uBibliorum

Subject(s): Bagaço de uva - Biodegradação anaeróbia; Bagaço de uva - Biogás; Degradação anaeróbia; Digestão anaeróbia - Resíduos de agro-indústria; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química


Description

O bagaço de uva, um dos subprodutos do processamento de vinho, tem sido considerado uma mais-valia em muitas aplicações biotecnológicas. O presente estudo tem por objectivo investigar a biodegradação do bagaço de uva (GP) sob regime anaeróbio mesófilo, na presença de co-substratos solúveis (glucose ou acetato). O seu potencial de produção de biogás foi também avaliado, para diferentes granulometrias. Testes de actividade metanogénica específica (SMA) foram efectuados com dois tipos de inóculo diferentes e medida em dois pontos da curva cumulativa de biogás, quando a variação da pressão com o tempo alcançou um valor máximo, primeiro no início da reacção (SMA I) e depois de um patamar, quando uma nova fase de crescimento não linear foi observada (SMA II). Obtiveram-se em geral valores mais elevados de SMA I para populações mesofílicas incubadas com GP para um tamanho de partícula, Ф, de 0,40mm e 0,5 g de massa (entre 0,053 ± 0,001 e 0,074 ± 0,011 L biogás / gSSV·d). A presença de um co-substrato parece aumentar os valores de SMA I para 0,091 ± 0,010 L biogás / gSSV·d. Os valores de SMA II foram em geral mais elevados dos que os obtidos para SMA I (para um Ф de 0,40mm e 0,5 g e glucose SMA II foi de 0,319 L biogás / gSSV·d) indicando um aumento da actividade metabólica nesta etapa da reacção. Os resultados da degradação anaeróbia do bagaço foram também seguidos por quantificação do potencial de produção de biogás, CQO, TOC, proteína, lignina polimérica precipitável em meio ácido (APPL), lignina solúvel residual e fenóis. Os valores mais elevados para a produção média de biogás foram obtidos para o bagaço com Ф de 0,40mm e 1 g suplementado com glucose (106,8 mL biogas/g SSV·d). Dependendo da granulometria do bagaço, da massa, da adição de co-substrato ou do tipo de inóculo, a APPL no licor residual está presente em maior ou menor quantidade (entre 0,107 ± 0,084 e 1,311 ± 0,549 g/L). O teor de fenol no licor residual foi também mais baixo para o inóculo mesófilas II (variou entre 1,5 e 82,5 mg GAE/L) do que para o mesófilas I (variou entre 17 ± 9 e 350 ± 4 mg GAE/L).

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Mendonça, António José Geraldes de; Gonçalves, Isolina Maria Silva Cabral
Contributor(s) Oliveira, Rui Manuel Caetano
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents