Document details

Influência do PH e temperatura em sistemas de produção da proteína recombinante, catecol-O-metiltransferase humana

Author(s): Silva , Rodrigo Roque

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/3926

Origin: uBibliorum

Subject(s): Proteína recombinante; Proteína recombinante - PH; Proteína recombinante - Temperatura; Catecol-O-metiltransferase; hSCOMT; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química; Domínio/Área Científica::Engenharia e Tecnologia::Engenharia Química


Description

Nas últimas décadas, a catecol-O-metiltransferase tem sido produzida em diversos sistemas biológicos usando vectores de expressão, optimizados sobre várias formulações moleculares. Apesar de todos os organismos descritos na literatura, terem produzido formas funcionais da enzima, a produtividade máxima encontrada, até ao momento, foi de 1g de proteína alvo. Actualmente, a investigação reduzida, realizada na fase upstream do processo produção de SCOMT humana, destaca as produtividades específicas e volumétricas para vários domínios biofarmacêuticos e neurológicos. Deste modo, o principal objectivo deste trabalho foi desenvolver um modelo sustentável que descreva a produtividade e a actividade da hSCOMT baseada nas condições típicas de fermentação. Baseado num sistema de cultura de Escherichia coli, o presente estudo destinou-se a determinar a densidade celular máxima e a quantidade activa/óptima de proteína em erlenmeyers, proporcionando um desempenho importante para o scale-up do bioreactor. Inicialmente, estudámos os meios complexo e semi-definido, devido à elevada produtividade, anteriormente encontrada, tornando o processo mais facilmente controlado devido ao uso do glicerol, como fonte de carbono principal. Foram realizados, ensaios em batch, variando parâmetros chave como (temperatura, pH e agitação) de acordo com o design factorial estabelecido para o desenvolvimento das experiências. Com base nos resultados obtidos nos ensaios batch, podemos concluir que, em termos de actividade específica e produtividade da proteína hSCOMT, o meio complexo reuniu melhores resultados que o meio semi-definido. No entanto, conseguimos melhorar os valores, em termos de produtividade mássica e volumétrica, no meio semi-definido, para temperaturas superiores a 30ºC e pH básico. Um modelo quimiométrico será proposto para simular os dados experimentais baseados nas condições de operação batch, nomeadamente, pH, temperatura e velocidade de agitação.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Queiroz, João António de Sampaio Rodrigues
Contributor(s) Silva , Rodrigo Roque
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents