Document details

Diferenças de Género em variáveis Sócioemocionais

Author(s): Rodrigues, Inês Isabel Marques

Date: 2016

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/5784

Origin: uBibliorum

Subject(s): Autoestima; Bem-Estar; Felicidade; Género.; Inteligência Emocional; Mindfulnes; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia


Description

Ao longo do ciclo de vida diferentes factores e variáveis contribuem para o funcionamento do ser humano. De entre estes destacam-se no presente trabalho a Felicidade, a Inteligência Emocional, a Autoestima, o Bem-estar subjetivo e o Mindfulness que têm vindo a despertar cada vez mais interesse na comunidade científica, revestindo-se de grande actualidade. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo principal avaliar os níveis de mindfulness, felicidade, autoestima, inteligência emocional e bem-estar subjetivo numa amostra de adultos que falam português, e comparar as diferenças nessas medidas entre géneros e entre grupos etários. A amostra conta com 1567 participantes, dos quais 663 são homens (42.2%) e 904 mulheres (57.6%), com idades compreendidas entre os 18 e os 97 anos, com uma média de idades de 43.16 anos (DP=17.77). A amostra foi obtida por conveniência através da recolha de dados online. Foram utilizados como instrumentos um Questionário sociodemográfico, a versão reduzida da Escala Portuguesa de Afeto Positivo e Negativo (PANAS-VRP), o Covilha Happiness Questionnaire (CHQ), a Escala de Inteligência Emocional de Schutte, o Inventário de Mindfulness de Freiburg e a Escala de Autoestima de Rosenberg. Neste estudo observaram-se diferenças estatisticamente significativas entre géneros nas variáveis Mindfulness (p=0 .002), sendo os homens que obtiveram valores superiores (M=2.93; DP=0,49) relativamente às mulheres (M=2.85; DP=0.50); na Inteligência Emocional verificou-se que foram as mulheres que obtiveram resultados mais elevados (M=3.95; DP=0.37) do que os homens (M=3.87; DP=0.38), e estas diferenças foram estatisticamente significativas (p= 0.000). Na Autoestima também se notaram diferenças estatisticamente significativas entre as pontuações dos homens e das mulheres (p= 0.01), obtendo os homens valores médios de 3.22 (DP=0.41) e as mulheres valores médios de 3.17 (DP=0.40). Nas variáveis “Bem-estar” e “Felicidade” não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os géneros, respectivamente (p=0.08) e (p=0.35). No Bem-estar, os homens obtêm uma pontuação média de 2.84 (DP=0.51) e as mulheres de 2.89 (DP=0.48). Por último, da comparação dos valores médios entre homens e mulheres na Felicidade, observou-se respectivamente uma média de 3.65 (DP=0.47) e uma média de 3.62 (DP=0.47). No que se refere à comparação das pontuações obtidas nas variáveis em estudo em função dos grupos de idade constituídos, observaram-se diferenças estatisticamente significativas nas variáveis Mindfulness (p=0.000), sendo que o grupo dos 46 aos 65 anos obteve resultados mais altos (M=3.76; DP=0.48); na Autoestima (p=0.000) também no grupo dos 46 aos 65 anos foram registados valores mais elevados (M=3.33; DP=0.34); na Felicidade (p=0.000) ainda no grupo dos 46 aos 65 anos foram encontrados os resultados mais altos (M=3.76; DP=0.48). Na variável Bem-estar (p=0.000) foi no grupo dos 26 aos 45 anos que foram registados valores mais elevados (M=2.96; DP=0.47). A Inteligência Emocional (p=0.000) surge como a última variável onde foram encontrados os valores mais altos no grupo dos 66 aos 97 anos (M=4.02; DP=0.37) Os principais resultados obtidos na presente investigação indicaram que os homens evidenciaram níveis mais elevados de auto-estima e Mindfulness do que as mulheres, na inteligência emocional foram as mulheres que obtiveram resultados superiores aos homens e no bem-estar e na felicidade não se encontraram diferenças em função do género. Comparando os valores das médias nas variáveis em estudo entre várias grupos etárias foram obtidas diferenças em todas as variáveis sendo o grupo dos mais velhos nas faixas etárias dos 46 aos 65 anos que apresentam mais autoestima, felicidade e Mindfulness. Surge o grupo dos 66 aos 97 anos como tendo mais inteligência emocional e o grupo dos 26 aos 45 como tendo níveis de bem-estar mais elevados. Os resultados obtidos nesta investigação, nomeadamente que os homens possuem mais autoestima e Mindfulness enquanto as mulheres têm mais inteligência emocional, corroboram os resultados obtidos em outros estudos. Efetivamente, o fato de as mulheres registarem níveis de ansiedade e depressão mais altos que os homens, pode explicar os resultados que também neste estudo se verificaram. Diversos autores justificam esta diferença considerando que as mulheres evidenciam níveis mais elevados de depressão e ansiedade o que podem explicar níveis baixos de autoestima e Mindfulness. Em suma, verificaram-se diferenças em função do género na “Autoestima”, na “Inteligência Emocional” e no “Mindfulness”. No entanto, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas para a “Felicidade” e “Bem-estar”. Relativamente à comparação dos valores médios das variáveis em estudo em função dos grupos etários encontraram-se diferenças estatisticamente significativas: foram os participantes da adultez intermédia (46 aos 65 anos) os que apresentam mais autoestima, mais felicidade e Mindfulness; o grupo na adultez inicial (26 aos 45 anos) evidenciou mais bem-estar comparativamente com os restantes grupos; os idosos (66 aos 97 anos) foram os que pontuaram mais na inteligência emocional.

Throughout the life cycle different factors and variables contribute to the functioning of the human being. Among these, we highlight the present work of Happiness, Emotional Intelligence, Self-Esteem, Subjective Well-Being and Mindfulness that have been awakening more and more interest in the scientific community, being very topical. In this sense, the main objective of this study is to evaluate the levels of mindfulness, happiness, self-esteem, emotional intelligence and subjective well-being in a sample of Portuguese-speaking adults, and to compare the differences between these measures between genders and between age groups. The sample had 1567 participants, of whom 663 were men (42.2%) and 904 women (57.6%), aged 18-97 years, with a mean age of 43.16 years (SD=17.77). The sample was obtained for convenience by collecting data online. A Sociodemographic Questionnaire, the reduced version of the Portuguese Scale of Positive and Negative Affect (PANAS-VRP), the Covilha Happiness Questionnaire (CHQ), the Schutte Emotional Intelligence Scale, the Freiburg Mindfulness Inventory and the Rosenberg Self Esteem Scale were used as instruments. In this study, we observed statistically significant differences among genders in the Mindfulness variables (p = 0.002), with males having higher values (M = 2.93, SD = 0.49) than females (M = 2.85, SD = 0.50 ); in emotional intelligence women get higher scores (M = 3.95, SD = 0.37) than in men (M = 3.87, SD = 0.38), and these differences were statistically significant (p = 0.000). In self-esteem, statistically significant differences were also observed between men's and women's scores (p = 0.01), with men averaging 3.22 (SD = 0.41) and women mean values of 3.17 (SD = 0.40). There were no statistically significant differences between the genders, respectively (p = 0.08) and (p = 0.35) in the variables "Well-being" and "Happiness". In Well-being, men score an average of 2.84 (SD = 0.51) and women score 2.89 (SD = 0.48). Finally, a mean of 3.65 (SD = 0.47) and an average of 3.62 (SD = 0.47) were observed respectively in the comparison between mean values between men and women in Happiness. As regards the comparison of the scores obtained in the study variables according to the constituted age groups, statistically significant differences were observed in Mindfulness variables (p = 0,000), and the group from 46 to 65 years old had more results High (M = 3.76, SD = 0.48); In self-esteem (p = .000) also in the group from 46 to 65 years old, higher values were recorded (M = 3.33, SD = 0.34); In Happiness (p = 0.000) even in the group of 46 to 65 years the highest results were found (M = 3.76, SD = 0.48). In the Welfare variable (p = 0.000), the highest values were recorded in the group aged 26 to 45 years (M = 2.96, SD =0.47). Emotional Intelligence (p = 0.000) appears as the last variable where the highest values were found in the 66-97 age group (M = 4.02, SD = 0.37) The main results obtained in the present investigation indicated that the men showed higher levels of self-esteem and Mindfulness than women, in emotional intelligence were the women who obtained superior results to the men and in the well-being and the happiness did not find differences According to gender. Comparing the values of the means in the variables under study among several age groups, differences were obtained in all variables, being the group of the older in the age groups of 46 to 65 years that present more self-esteem, happiness and Mindfulness. The group aged 66 to 97 years appears to have more emotional intelligence and the group from 26 to 45 as having higher levels of well-being. During the literature search were found studies that corroborate the results discovered in this research, namely that men have more self-esteem and Mindfulness while women have more emotional intelligence. These results can be explained by the fact that women experience higher levels of anxiety and depression than men, and depression and anxiety are associated with low self-esteem and Mindfulness. In short, there were gender differences in "Self-esteem," "Emotional Intelligence," and "Mindfulness." However, no statistically significant differences were found for "Happiness" and "Well-being". Comparing the mean values of the study variables according to the age groups, we found statistically significant differences: the participants of intermediate adulthood (46 to 65 years) presented the most self-esteem, more happiness and Mindfulness; The group in the initial adulthood (26 to 45 years) showed more well-being compared to the other groups; The elderly (66 to 97 years) were those who scored more on emotional intelligence.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Esgalhado, Maria da Graça Proença
Contributor(s) Rodrigues, Inês Isabel Marques
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents