Document details

Avaliação da Vulnerabilidade Psicológica e de Crenças face à Doença em Pessoas com Diabetes Mellitus

Author(s): Duarte, Joana Abrantes Leal

Date: 2016

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/5790

Origin: uBibliorum

Subject(s): Crenças.; Diabetes Mellitus; Vulnerabilidade Ao Stress; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Psicologia


Description

Introdução: A Diabetes Mellitus (DM) é encarada como uma verdadeira pandemia devido ao aumento exponencial da sua prevalência e às suas complicações crónicas. Como o diagnóstico é considerado um fator stressante, os fatores psicossociais, como é o caso da vulnerabilidade ao stress, têm um impacto significativo no doente com DM, nomeadamente no processo de autocuidado e de gestão da doença. As crenças que o doente tem face à sua condição também são um fator decisivo na procura de tratamento e de cuidados exigidos por este quadro clínico. O principal objetivo desta investigação consiste em analisar os níveis de vulnerabilidade ao stress numa amostra de doentes com diabetes e relacioná-los com variáveis sociodemográficas e clínicas e ainda descrever as suas crenças face a esta patologia. Método: Uma amostra de 105 utentes com diagnóstico de DM do Centro Hospitalar Cova da Beira, do Centro de Saúde da Sertã e do Hospital Sousa Martins (HSM) responderam a um protocolo de investigação com um questionário sociodemográfico e o Questionário de Vulnerabilidade ao Stress – 23 QVS (Vaz-Serra, 2000). Os 42 utentes portadores de DM do HSM responderam ainda ao Questionário de Crenças sobre a Doença – Versão Breve (Vera Araújo-Soares, Ana Trovisqueira & Teresa McIntyre, s.d.). Resultados: Cerca de 42.9% dos participantes apresentaram vulnerabilidade ao stress, particularmente os do género feminino e os menos jovens. Não houve relação estatisticamente significativa entre a vulnerabilidade ao stress e as variáveis clínicas. Quanto às crenças, cerca de 45.2% dos utentes do HSM apresentam crenças mais negativas relativamente à DM. Por fim foi possível verificar que as crenças contribuem com 41% enquanto explicação da variabilidade da vulnerabilidade ao stress da DM nos utentes do HSM da Guarda. Conclusão: Os resultados denotam o impacto que vulnerabilidade ao stress e as crenças face à doença têm nos doentes com DM, o que demonstra a necessidade de desenvolver intervenções que tenham como foco toda a esfera biopsicossocial do doente.

Introduction: Mellitus diabetes is faced like a truly pandemic due to the exponencial rise of its predominance and its chronic complications. This diagnosis is considered a stressful test, and because of that the psychosocial facts, like the vulnerability to stress, have a significative impact in the patient with DM, namely in the processo of selfcaring and the disease management. The beliefs that the patient has given to their condition are also a decisive factor in the demand for treatment and care required for this clinical picture. The main objective of this research is to analyze the levels of vulnerability to stress in a sample of patients with diabetes and relate them to sociodemographic and clinical variables and also describe their beliefs in the face of this disease. Method: A sample of 105 users diagnosed with DM of “Hospital Cova da Beira”, from the “Centro de Saúde da Sertã” and “Hospital Sousa Martins (HSM)” responded to a research protocol with a sociodemographic questionnaire and Vulnerability Questionnaire Stress - 23 QVS (Vaz Serra, 2000). The 42 patients with DM of HSM also responded to Illness Perception Questionnaire - Brief version (Vera Araújo-Soares, Ana Teresa Trovisqueira & McIntyre, s.d.). Results: About 42.9% of the participants presented vulnerability to stress, particularly those of the female gender and the older ones. There was no statistically significant relationship between stress vulnerability and clinical variables. Regarding beliefs, about 45.2% of HSM users present more negative beliefs regarding DM. Finally, it was possible to verify that the beliefs contribute with 41% as an explanation of the variability of the vulnerability to stress of the DM in the users of the HSM of Guarda. Conclusion: The results show the impact of vulnerability to stress and beliefs in the face of disease have in patients with DM, which demonstrates the need to develop interventions that focus on all biopsychosocial sphere of the patient.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Carvalho, Paula Susana Loureiro Saraiva de
Contributor(s) Duarte, Joana Abrantes Leal
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents