Document details

Dinâmicas e percepções sobre trabalho de equipa : um estudo em ambiente cirúrgico

Author(s): Pereira, Maria do Carmo Carvalho Monteiro Abreu

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/827

Origin: uBibliorum

Subject(s): Trabalho de equipa - Cirurgia - Anestesia; Trabalho de equipa - Ambiente hospitalar; Trabalho de equipa - Ambiente hospitalar - Enfermagem; Trabalho de equipa - Ambiente hospitalar - Colaboração


Description

Introdução: O trabalho de equipa parece ser a lógica dominante das organizações de saúde com vista a aumentar a efectividade e melhorar os cuidados prestados ao doente. No entanto, a forma de estruturação das equipas e as componentes relacionais, dentro desta, parece ser, ainda, uma lacuna na literatura actual. Objectivos: Aprofundar os conhecimentos acerca do trabalho de equipa e a dinâmica das equipas cirúrgicas. Analisar o ambiente do bloco operatório, percepcionando o tipo de relações estabelecidas entre os diferentes membros constituintes e a forma como estas relações influenciam a eficiência e ocorrência de erros dentro da equipa. Métodos: Estudo prospectivo, transversal, utilizando duas abordagens distintas mas complementares: o acompanhamento (estudo observacional) de duas equipas cirúrgicas de instituições hospitalares portuguesas distintas; e a aplicação de um questionário de perguntas fechadas aos diferentes elementos de uma equipa cirúrgica. Resultados: O bloco operatório é um sistema organizacional baseado numa lógica de in-puts, processos e out-puts, sendo que os profissionais integrantes do acto cirúrgico se agrupam como uma verdadeira equipa. Foram encontradas discrepâncias estruturais entre as duas equipas observadas, bem como diferenças organizacionais entre elas. A equipa estruturalmente fixa e especialista parece ter resultados mais eficientes, com actos cirúrgicos mais rápidos e mais complexos. Equipas Ad-hoc parecem demorar mais tempo em certos componentes do acto cirúrgico. As equipas cirúrgicas parecem ser constituídas essencialmente por duas sub-equipas, uma representativa da área anestésica e outra da área cirúrgica. Os diferentes membros da equipa cirúrgica mostraram ter um gosto especial em trabalhar em equipas menos numerosas e mais relacionadas, assim como mostraram preferir trabalhar sempre com a mesma equipa. Mais de metade dos membros mostraram-se insatisfeitos com a colaboração entre médicos e enfermeiros, verificando-se a falta de existência de reuniões para discussão entre os diferentes membros, proporcionando uma falta de informação e avaliação dentro das equipas cirúrgicas. Segundo a percepção dos diferentes profissionais, ambientes hostis potenciam a ocorrência de erro, sendo as dificuldades nos relacionamentos e a falta de comunicação entre os membros, os motivos mais mencionados pelas equipas.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Pereira, Maria do Carmo Carvalho Monteiro Abreu
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents