Document details

Estudo prospectivo sobre a incidência de infecção sistémica que precede um acidente vascular cerebral : tipos de infecção e tipos de acidentes vasculares cerebrais

Author(s): Silva, Daniela Patrícia Leitão

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.6/878

Origin: uBibliorum

Subject(s): Acidente vascular cerebral; Acidente vascular cerebral isquémico; Acidente vascular cerebral hemorrágico; Acidente vascular cerebral - Factores de risco; Acidente vascular cerebral - Infecção


Description

Introdução: O papel da infecção aguda como factor de risco para Acidente Vascular Cerebral tem sido objecto de discussão há já muitos anos, e vários são os estudos que demonstram que a infecção na semana prévia, pode precipitar enfartes isquémicos, em todos os grupos etários, com uma prevalência que varia de 10-35%. Os estudos já realizados atribuem às infecções respiratórias, particularmente bacterianas, uma função de gatilho mais preponderante. Objectivos: Este estudo teve como objectivo investigar uma possível associação entre um AVC e infecções recentes, até uma semana antes do evento vascular. A par disso, procurou também encontrar alguma relação com algum grupo etário, com o tipo e subtipo de AVC, com a presença ou não de factores de risco cardiovasculares, e com o desenvolvimento de complicações durante o internamento, nesses doentes com infecção prévia. Também se tentou averiguar se existiria algum tipo de infecção mais predominantemente associado. Métodos: Foi realizado um estudo prospectivo durante os meses de Novembro, Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010, na Unidade de Acidentes Vasculares Cerebrais do Centro Hospitalar Cova da Beira, onde se incluíram todos os doentes com AVC/AIT, aos quais foi realizado um pequeno questionário para averiguar a história de infecção prévia. Na impossibilidade de estes comunicarem foi um familiar quem respondeu ao questionário. Foram também analisados os processos clínicos dos doentes através do programa SAMS. A análise dos resultados foi feita no programa SPSS, versão 15. Resultados: Dos 79 doentes que preenchiam os critérios de inclusão, 69 eram AVC’s isquémicos e 10 eram do tipo Hemorrágico. A história de infecção foi recolhida de 36 doentes, dos quais 14 assumem ter tido infecção, 8 de causa bacteriana e 6 de causa viral, 10 com origem no tracto respiratório e 4 no tracto urinário. São 22 os doentes que negam a presença de infecção previamente. A média de idades nos doentes com infecção é de 77, 21 anos. Não foram encontradas associações significativas entre a infecção e os parâmetros analíticos de infecção, nem com os tipos e subtipos de AVC, nem com os factores de risco cardiovasculares, nem com a presença de complicações no internamento, com p sempre superior a 0,05. Conclusão: Infecções agudas não parecem ter associação significativa com o desencadear de um AVC e mais estudos serão necessários, com novas abordagens, para verificar o papel de gatilho da infecção, que outros estudos já demonstraram, e quiçá encontrar aqui novas abordagens para prevenção de um AVC.

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Contributor(s) Silva, Daniela Patrícia Leitão
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents