Document details

Estudos preliminares de polinização em oliveira (Olea europaea) cv. Galega vulgar

Author(s): Cabral, Erica Falcato

Date: 2009

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.5/1918

Origin: Repositório da UTL

Subject(s): olea europaea; boron; pollination; fruit set; boro; polinização; vingamento; viabilidade do polen


Description

The effect of boron application in flower quality and olive, cv. Galega vulgar fruit set, and the efficiency of different types of pollination: open, self and controlled pollination, were tested in a hedge olive orchard in Santarém. In the boron experiment, 0 mg, 512 mg and 1024 mg of boron was applied in April. Pollen of the cultivars ‘Blanqueta’, ‘Cordovil’, ‘Cobrançosa’, ‘Picual’ and ‘Arbequina’ was collected and used in cross pollinations experiment. The application of different levels of boron had no effect neither in the flower quality nor in the fruit set, possibly due to the boron deficiency that the trees presented which was not suppressed with the boron application. Fruit set wasn’t statistically different when the different cultivars were used to pollinate cv. Galega. The fruit set was superior with open pollination when compared with controlled pollination, since the microperforated plastic bags that were used have proved to be inadequate due to lack of moisture permeability. Fruit set in open pollination, was 93.6 fruits per 100 inflorescences and 55.8 fruits per 100 inflorescences in June and July, respectively, corresponding to fruit set rates of 5.5% and 3.3%, respectively. Pollen germination and pollen viability rates were between 2% and 7%.-------------------------------------------O efeito da aplicação de boro na qualidade da flor e no vingamento da oliveira, cv. Galega vulgar, assim como a eficácia dos diferentes tipos de polinização: livre, autopolinização e polinização controlada, foram estudados num olival em sebe em Santarém. No ensaio da aplicação de boro, aplicou-se 0 mg, 512 mg e 1024 mg de boro. No ensaio de polinização utilizou-se pólen das cultivares ‘Blanqueta’, ‘Cordovil’, ‘Cobrançosa’, ‘Picual’ e ‘Arbequina’. A aplicação de diferentes quantidades de boro não teve efeito ao nível da qualidade da flor e do vingamento, possivelmente devido aos níveis de deficiência de boro que as árvores apresentaram e que não foram superados com as aplicações de boro. Na polinização controlada, o vingamento não foi estatisticamente diferente quando se polinizou com as diferentes cultivares. Em polinização livre, o vingamento foi superior ao da polinização controlada dado que a utilização de sacos de plástico microperfurados se revelou inadequada. O número médio de frutos vingados em polinização livre, por 100 inflorescências foi 93,6 frutos e 55,8 frutos, em Junho e Julho, respectivamente, estes valores correspondem taxas de vingamento de 5,5% e 3,3%. As taxas de germinação e de viabilidade do pólen apresentam valores entre 2% e 7%.

Mestrado em Engenharia Agronómica - Instituto Superior de Agronomia

Document Type Master thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Oliveira, Cristina Maria Moniz Simões; Mota, Mariana Gomes
Contributor(s) Cabral, Erica Falcato
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents