Document details

Estudo longitudinal sobre factores de risco biomorfológicos e psicossociais associados aos problemas músculo-esqueléticos da coluna lombar em adolescentes

Author(s): Oliveira, Raul Alexandre Nunes da Silva

Date: 2010

Persistent ID: http://hdl.handle.net/10400.5/2839

Origin: Repositório da UTL

Subject(s): Adolescentes; Estudo epidemiológico; Factores de risco; Lombalgia; Saúde pública


Description

Introdução: As lombalgias constituiem um “problema de saúde pública” nas sociedades desenvolvidas, que se inicia durante a adolescência e que afectou, afecta ou virá a afectar uma parte significativa da população na sua vida activa. Tipo de estudo e objectivos: levantamento epidemiológico, prospectivo, longitudinal (tipo survey) com a finalidade de (1) determinar a prevalência e incidência de dores lombares, caracterizando o seu padrão de ocorrência em jovens adolescentes com idades entre os 11 e os 17 anos, ao longo do seu crescimento.; (2) analisar a associação entre comportamento da dor lombar e as variáveis físicas e psicossociais. Metodologia: a amostra constituida por 171 alunos dos 239 iniciais, entre os 11 e os 17 anos de idade, avaliados em três momentos de avaliação, com seis meses de de intervalo entre eles, num conjunto de variáveis biomorfológicas e psicossociais. Aplicou‐se um questionário de auto‐resposta previamente validado, instrumentos e testes específicos para a avaliação das variáveis antropométricas e a escala de auto‐conceito de Piers‐Harris. Tratamento dos dados: estatística descritiva e a análise de regressão logistica bivariada e multivariada, entre o comportamento da dor lombar e as variáveis independentes com determinação do nível de significância e do risco relativo estimado (Odds rátios ‐ OR) para um intervalo de confiança de 95%. Resultados e Discussão: A prevalência semestral de dor lombar variou entre os 11,1% e os 20,5% e a incidência anual foi de 6,4%, constituindo um dos valores mais baixos encontrados em estudos longitudinais. As dores lombares persistentes ocorreram em 11,1% dos sujeitos. As raparigas (p=0,021; OR =11,605: IC 95%: 1,456 – 92,493), com alterações posturais (p=0,114; OR=2,569; IC 95%: 0,797 – 8,277) e com scores de autoconceito mais baixos (p=0,016; OR =0,254; IC 95%: 0,083 – 7,778) constituiram o grupo de maior risco para reportarem dores lombares persistentes. A lombalgia inespecífica, tendo uma etiologia multifactorial, requer uma análise multivariada entre os factores biomorfológicos e psicossociais e de preferência em estudos de seguimento. Conclusões: a história de dor lombar inespecífica, é na maioria das vezes de natureza benigna e considerada como um “acontecimento natural” e de evolução espontânea. Contudo, pelo menos um em cada dez jovens apresentaram dores lombares persistentes que podem ser preditivas de problemas na vida futura.

Introduction/Background: Low Back Trouble is a public health problem in developed societies, which begins during adolescence, affects or will affect a significant proportion of the population in its working life. Study Type and Objectives: A survey study with a prospective and longitudinal design. The purpose of the study was: (1) to determine the prevalence and incidence of low back pain and characterizing its pattern of occurrence in young adolescents aged 11 to 17 years, throughout its growth, (2) to analyze the association between low back pain behavior and physical and psychosocial variables. Methodology: The sample consisted of 171 students from an initial population of 239, between 11 and 17 years of age, assessed at three evaluation times (six‐month interval). A set of physical and psychosocial variables was measured. We applied a self‐answered questionnaire previously validated, specific tests for the evaluation of anthropometric variables and the Piers‐Harris Children’s Self‐Concept Scale. Analyze of data: descriptive statistics and bivariate logistic regression analysis and multivariate analysis between the behavior of low back pain and all independent variables to determine the level of significance, the estimated relative risk (odds ratios ‐ OR) for a level of confidence of 95%. Results and Discussion: The biannual prevalence of low back pain ranged from 11.1% to 20.5% and the annual incidence was 6.4%, constituting one of the lowest values found in longitudinal studies. Chronic back pain occurred in 11.1% of the subjects. Girls (p = 0.021, OR = 11.605: 95% CI: 1.456 to 92.493) with postural changes (p = 0.114, OR = 2.569, 95% CI: 0.797 to 8.277) and lower scores of self‐concept (p = 0.016, OR = 0.254, 95% CI: 0.083 to 7.778) constituted the highest risk group for reporting persistent back pain. The nonspecific low back pain has a multifactorial etiology and requires a multivariate analysis between the physical and psychosocial variables and preferably in a follow‐up studies. Conclusions: history of nonspecific low back pain is mostly benign and is considered a "natural occurrence" with a spontaneous evolution. However, at least one in ten young people had persistent back pain that may be predictive for future problems.

Doutoramento em Motricidade Humana na especialidade de Ciências da Fisioterapia

Document Type Doctoral thesis
Language Portuguese
Advisor(s) Cabri, Jan Maria Hendrick
Contributor(s) Oliveira, Raul Alexandre Nunes da Silva
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Related documents

No related documents