Detalhes do Documento

Cuidar a ansiedade

Autor(es): Rosa, Carla Alexandra Garcês Cotrim

Data: 2011

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10400.26/15855

Origem: Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Assunto(s): Ansiedade; Trabalho de parto; Cuidados de enfermagem


Descrição

O presente relatório pretende fazer uma descrição e análise crítico-reflexiva das actividades desenvolvidas no meu percurso de estágio em contexto de sala de partos, durante o meu processo de formação do Curso de Mestrado em enfermagem de saúde Materna e Obstetrícia. Todo o percurso de formação foi orientado para a temática da ansiedade no trabalho de parto, tendo assim este relatório como tema principal “Cuidados de Enfermagem que minimizam a ansiedade da mulher em trabalho de parto”. A maternidade é um dos períodos mais importantes no ciclo de vida da mulher, constituindo um período caracterizado por inúmeras transformações, não só físicas, psicológicas e sociais. O modo como a mulher vive a sua gravidez e a forma como projecta o parto é muitas vezes acompanhado por níveis variáveis de ansiedade que podem afectar a sua saúde e a do feto e que em alguns casos esta ansiedade pode ser prevenida ou pelo menos substancialmente reduzida, considerei importante conhecer, compreender e actuar nesse fenómeno. Através da revisão sistematizada da literatura e das notas de campo resultantes da observação participante e recolhidas durante a interacção com as parturientes, identifiquei os principais factores desencadeantes da ansiedade da grávida em trabalho de parto, bem como os cuidados de enfermagem especializados que minimizam essa ansiedade, suportados pela pesquisa efectuada. Como referencial teórico, utilizei os pressupostos teóricos da teoria do cuidar de médio alcance de Kristin Swanson em que a pessoa é vista como um ser único, indissociável do seu universo e que está em relação com o seu ambiente ou com o seu meio envolvente. Nesta perspectiva a enfermeira coloca ao dispor de cada pessoa os seus conhecimentos e acompanha-a nas suas experiências de saúde, respeitando o seu ritmo e o caminho que ela própria escolheu, assegurando o bem-estar materno-fetal e do recém-nascido. A enfermeira e a pessoa são parceiras nos cuidados individualizados.

Mestrado, Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica, 2011, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Tipo de Documento Dissertação de mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Félix, Maria Teresa
Contribuidor(es) Rosa, Carla Alexandra Garcês Cotrim
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Documentos Relacionados

Não existem documentos relacionados.