Detalhes do Documento

A tributação do estabelecimento estável na economia global e digital: uma análise jurisprudencial em Portugal

Autor(es): Ribeiro, Cláudio Paiva

Data: 2018

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10400.26/23363

Origem: Instituto Politécnico de Coimbra

Assunto(s): Estabelecimento estável; Economia digital; Desafios de tributação; Soberania fiscal; Relatório BEPS; Art.o 5 do CIRC; Art.o 5 do MCOCDE


Descrição

A presente dissertação versa sobre uma análise do atual conceito de Estabelecimento Estável (EE) no sistema fiscal, na nova economia global e digital. Em especial, o estudo das propostas recentes da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) e da União Europeia (UE). Iniciámos a nossa análise pelo estudo do conceito de EE na legislação portuguesa e na legislação internacional. Observámos que o conceito atual de EE não se encontra adaptado à nova economia digital e global. O termo “fixo” não é sinónimo de imobilidade pois é possível a existência de lugares de negócios suscetíveis de constituírem EE sem que haja uma efetiva ligação física ao solo. Na atual economia digital é este o desafio. Posteriormente, apresentaram-se e discutiram-se as propostas da OCDE e da UE, as quais têm como objetivo apresentar um novo conceito de EE virtual, bem como de prevenir o abuso por parte dos sujeitos passivos de constituição de EE nos Estados onde desenvolvem as suas atividades. Pretendeu-se dar respostas às debilidades do conceito de EE agência, com especial ênfase no seu uso abusivo através da celebração dos contratos de comissão. Este trabalho integra-se numa perspetiva de análise doutrinal e jurisprudencial do conceito de EE, não constituindo somente uma revisão da literatura. Assim, na metodologia procedeu-se à recolha da jurisprudência provinda dos tribunais, na sequência da aplicação do conceito de EE e das suas dificuldades, no sentido de discutir e perceber os pressupostos da AT, as contra-alegações dos contribuintes, bem como a posição dos Tribunais perante os casos que são submetidos à sua apreciação. Concluímos no sentido de que não existe um conjunto pré-definido de requisitos, ou seja, de pressupostos que, por si só, evidenciem a existência de um EE e a sua tributação, pelo que terá de se analisar caso a caso. Uma das questões mais relevantes e controversas é a relação entre o conceito de EE aplicável para efeitos de tributação direta e indireta, o que nem sempre é o mesmo, o que tem originado custos de litígio elevados.

Tipo de Documento Dissertação de mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Lopes, Cidália Maria da Mota
Contribuidor(es) Ribeiro, Cláudio Paiva
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Documentos Relacionados

Não existem documentos relacionados.