Detalhes do Documento

Leitura e Agricultura - A Imprens Periódica Ciêntífica em Portugal (1772-1852)

Autor(es): Nunes, Maria de Fátima

Data: 1994

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10174/10996

Origem: Repositório Científico da Universidade de Évora

Assunto(s): Imprensa periódica; Imprensa científica; O juízo final; O despertar dos mágicos; A sinfonia do novo mundo


Descrição

"sem resumo feito pelo autor"; - A construção deste texto foi um gratificante desafio académico. De um tempo já longínquo surgiu a ideia de estudar os jornais, enquanto páginas de leitura de temas da Ciência decorrente da Filosofia Natural de Newton, e de pedagógicas descrições técnicas de diversificados procedimentos utilitários. Começou, então, uma certa descoberta com sabor a aventura. Confrontar estudos com catálogos, vasculhar gavetas de bibliotecas e ficheiros antigos... Pouco a pouco obtivermos um considerável núcleo que designámos por imprensa periódica científica. A curiosidade foi crescendo. Urgia, então, dar contornos de sistematização às muitas fichas acumuladas, discernir ideias, interpretar (aparentes) conjugações factuais e contextualizar o peso dos acontecimentos jornalísticos.. Nasceu assim um trabalho de investigação desenvolvido no Centro de História da Cultura da Universidade Nova de Lisboa. A partir de 1988 este projecto transformou-se no tema de dissertação de Doutoramento, em História Moderna e Contemporânea, que Universidade de Évora acolheu. É, portanto, o produto de longos anos de interesse por este tema, que apresentamos com o título de Leitura e Agricultura - A Imprensa Periódica Científica em Portugal (1772-1852). A estrutura do trabalho assenta na valorização de duas componentes da História da Cultura - a imprensa científica e a leitura em Portugal, no longo período que medeia as reformas univers i tá r ias de 1772 do aparecimento dos novos estabelecimentos de ensino superior, em 1852. A organização temática decorre da articulação de diferentes áreas de análise. Em primeiro lugar, tentámos obter pistas referentes à leitura directamente relacionada com os jornais que tínhamos seleccionado. Dados dispersos que procurámos organizar e sistematizar, para posteriormente os inter rogarmos, em função do sign if icado cul tura l da difusão de conhecimentos científicos e técnicos. As respostas encontram-se distribuídas por duas etapas cronológicas -" 0 despertar dos mágicos": 1772-1834 e "A sinfonia do Novo Mundo": 1834-1852. Nelas se encontram uma tipologia para os periódicos científicos que resultou do estudo individual, e historicamente contextualizado, de cada título recenseado. Assim, foram surgindo traços de oposição e de parentesco entre eles. Como denominador comum tínhamos sinais evidentes de uma componente humana, expressos nos diversificados itinerários dos responsáveis pela existência destes veículos de ideias. Acompanhar os ritmos de difusão das ideias agraristas na imprensa periódica científica deve-se a três factores. 0 primeiro reside no facto de os temas agrários constituírem uma presença temporalmente permanente em todos os jornais científicos, ínstructivos e recreativos. 0 segundo, prende-se com a necessidade de isolar uma das áreas dos conhecimentos transmitidos. 0 leque de opções era diversificado: a medicina, a física, a química, a matemática, a botânica... Seguir o rasto das ideias agraristas e agronómicas possibilitou-nos um contacto mais profundo com os mecanismos de divulgação e de popularização da ciência e da técnica. 0 terceiro factor tem a ver com a realidade de Portugal na primeira metade de oitocentos. Uma sociedade e uma economia ainda totalmente dependentes da, actividade agrícola. Um País em mutação histórica, inflamado por debates ideológicos em torno da propriedade, da terra, do proprietário, do agricultor... Até que ponto este discurso, essencialmente político e jurídico, se projectou no da difusão dos conhecimentos agronômicos ? A última parte deste trabalho - "0 juizo final ... fecha o trajecto despoletado pelos múltiplos significados de ler, em Portugal, um jornal científico e nele valorizar os temas da agricultura, no período que une as simbólicas datas de 1772 e de 1852.

Tipo de Documento Tese de doutoramento
Idioma Português
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Documentos Relacionados