Detalhes do Documento

Simultaneous quantification of tramadol and m1 in hair samples by gas chromatography-mass spectrometry

Autor(es): Pinho, Sandra Cristina dos Santos

Data: 2012

Origem: Repositório CESPU

Assunto(s): tramadol; cabelo; O-desmetiltramadol (M1); cromatografia gasosa; espetrometria de massa; hair; O-desmethyltramadol; abuse; gas cromatography (GC); Mass spectrometry (MS)


Descrição

Devido à sua capacidade única de armazenamento a longo prazo de xenobióticos (XBs), o cabelo tem adquirido, ao longo dos últimos 20 anos, uma maior atenção e reconhecimento para a investigação retrospetiva de exposição crónica de XBs, bem como exposição intencional ou acidental. A sua estrutura sólida e natureza durável promovem a estabilidade dos XBs na haste capilar, mesmo durante séculos após a administração. A grande janela de deteção é a principal vantagem do cabelo em comparação com as amostras convencionais (sangue e urina). De facto, as três amostras biológicas complementam-se entre si: as análises ao sangue e urina fornecem informação de curto prazo, enquanto a história a longo prazo é fornecida através da análise do cabelo (que pode expandir entre meses e anos, dependendo do comprimento cabelo analisado). Esta vantagem associada à recolha não invasiva e à desnecessidade de condições especiais de armazenamento, fazem o cabelo uma ferramenta útil em toxicologia forense. Embora haja consenso razoável de que os resultados qualitativos da análise do cabelo são válidos, a interpretação dos resultados ainda está em debate devido a questões não resolvidas, como a influência de contaminação externa que é frequentemente associada com a interpretação incorreta dos resultados (falsos positivos). O tramadol é um dos analgésicos mais utilizados em todo o mundo. A sua reduzida habilidade de indução abuso e dependência está documentada. No entanto, nos últimos anos, tem-se verificado um aumento do número de casos de dependência, abuso e intoxicação por tramadol. Uma vez que a incidência de abuso por tramadol, concentra-se principalmente em indivíduos com história de abuso de drogas, o cabelo torna-se a matriz ideal para a investigação retrospetiva do abuso crónico de tramadol. A fim de excluir a possibilidade de contaminação externa, é importante para quantificar simultaneamente tramadol e o seu metabolito principal, O-desmetiltramadol (M1), que, quando presente no cabelo, representa exposição interna uma vez que não existe sob a forma medicamentosa. Durante os últimos anos, foram publicados alguns estudos de análise do cabelo para a deteção e quantificação do tramadol. Por outro lado nenhum estudo de validação para a deteção e quantificação de M1 no cabelo foi documentado. Este trabalho teve como objetivo desenvolver e validar um método baseado em cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa (GC-MS) para deteção e quantificação de tramadol e M1 em amostras de cabelo humano. O trabalho experimental foi organizado em três partes: parâmetros de otimização (GC-MS parâmetros, extração de fase sólida (SPE) e condições de derivatização), validação do método e comprovação da sua aplicabilidade. A validação do método foi realizada de acordo com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA). A exatidão, limites de deteção (LOD), limites de quantificação (LOQ), a recuperação, linearidade, seletividade, a precisão (intradia e interdia) método foram determinadas. O método GC-MS mostrou ser específico, exato (entre 100.3-108.0%) e preciso (CV% entre 3.85-10.06% para tramadol e 7.24-13.24% para M1). A curva de calibração (0.1-20 ng / mg) apresentou uma boa linearidade para ambos os analitos com coeficientes de correlação de 0.9995 e 0.9997 para o tramadol e M1, respetivamente. Os LOD e LOQ foram 0.03 e 0.02ng/mg, e 0.08 e 0.06ng/mg, para o tramadol e M1, respetivamente. Após a validação, o método foi aplicado a seis casos clínicos de tratamento monitorizado de tramadol. As amostras reais foram recolhidas de seis pacientes, dois do sexo feminino e quatro do sexo masculino (com idades 24-90 anos) que tinham sido tratados com tramadol para diversos fins medicinais. As seis amostras foram positivas para o tramadol e M1, e todas as concentrações estavam dentro da gama da curva de calibração. A discrepância entre as concentrações de tramadol e M1 das amostras reais, provavelmente, é a consequência da droga mãe apresentar propriedades físicas e químicas favoráveis à incorporação e depositação no cabelo, ou seja, apresenta menor polaridade que o M1 e exibe propriedades básicas que facilitam a sua deposição na melanina.

Tipo de Documento Dissertação de mestrado
Idioma Português
Contribuidor(es) Pinho, Sandra Cristina dos Santos
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Documentos Relacionados

Não existem documentos relacionados.