Detalhes do Documento

Qualidade de vida de idosos em centro de dia e em serviço de apoio domiciliário

Autor(es): Estêvão, Susana Margarida Vidigueira Paulito

Data: 2017

Identificador Persistente: http://hdl.handle.net/10400.1/10692

Origem: Sapientia - Universidade do Algarve

Assunto(s): Envelhecimento; Qualidade de vida; Idosos; Centro de Dia; Serviço de apoio domiciliário; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Outras Ciências Sociais; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Outras Ciências Sociais; Domínio/Área Científica::Ciências Sociais::Outras Ciências Sociais


Descrição

Um dos maiores avanços na história da humanidade é o facto da Esperança Média de Vida estar, em vários países, acima dos 80 anos. No entanto, este envelhecimento populacional acarreta sérias questões na sociedade, sendo que uma das maiores preocupações atualmente é a qualidade de vida dos idosos. Por essa razão, esta investigação centra-se na qualidade de vida de idosos em Centro de Dia e em Serviço de Apoio Domiciliário para que seja possível contribuir para os estudos já existentes na região do Algarve. Este estudo tem como principal objetivo avaliar e comparar a qualidade de vida entre os idosos institucionalizados em Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário. Desta forma, pretende-se caraterizar os idosos, bem como identificar e descrever as relações das variáveis socioeconómicas e contextuais com a qualidade de vida. Para esta investigação realizou-se um estudo de caso exploratório, descritivo, transversal e comparativo. Para recolha de dados aplicou-se um formulário sociodemográfico e contextual elaborado pela investigadora e a escala WHOQOL-Bref. A amostra é composta por 41 idosos com idades compreendidas entre os 66 e os 94 anos, institucionalizados em Centro de Dia ou em Serviço de Apoio Domiciliário no Centro Social de Santo Estêvão, Tavira. Os dados foram posteriormente tratados através do programa SPSS (Statiscal Package for Social Sciences). Os principais resultados indicam que há diferenças estatisticamente significativas em relação ao género e à qualidade de vida (p=0,007), em que os homens têm maior qualidade de vida que as mulheres no domínio físico. Contudo, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas relativamente às variáveis resposta social, estado civil, gestão de rendimentos e idade.

Tipo de Documento Dissertação de mestrado
Idioma Português
Orientador(es) Nave, Filipe
Contribuidor(es) Estêvão, Susana Margarida Vidigueira Paulito
facebook logo  linkedin logo  twitter logo 
mendeley logo

Documentos Relacionados

Não existem documentos relacionados.